Como abrir uma loja virtual em 7 passos

O que esperar da sua loja virtual

Uma loja virtual pode inovar completamente seu negócio, abrir horizontes e aumentar os lucros, desde que ao decidir abrir seu e-commerce, o empresário esteja preparado e munido de alguns conhecimentos. Portanto, como abrir uma loja virtual, de modo simples e objetivo, é o que iremos abordar neste artigo.

Mesmo com um comércio varejista incerto, em tempos de pandemia e mudanças repentinas no modo de consumo, o e-commerce anda na contramão com muita perspectiva de crescimento. Segundo levantamento da Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o comércio online ganhou, recentemente, quatro milhões de novos clientes. Sendo assim, podemos dizer que este mercado está bem aquecido.

Nesse artigo, iremos abordar algumas dicas para abrir sua loja virtual. De modo que você conhecerá, também, como os empresários podem tirar vantagens ao integrar sua loja física à virtual.

Então, confira abaixo como abrir uma loja virtual em 7 passos:

1. Planejamento

Comece definindo o que será vendido, para quem será vendido (público alvo), e quais serão seus fornecedores, seja de produtos, serviços de entregas e meios de pagamentos. Com essas características definidas, estude os concorrentes, anote seus preços, estratégias, diferenciais e como eles atuam na publicidade. Não deixe de perceber as falhas que a concorrência comete, para se ajustar e oferecer um preço competitivo com os diferencias da sua marca. 

2. Escolhendo a plataforma

Assim como na loja física é importante um bom ponto comercial, na loja virtual é fundamental saber escolher uma boa plataforma. Sendo assim, a escolha de uma plataforma, confiável e simples de configurar, irá garantir segurança e velocidade no lançamento da sua loja online.

Todo negócio deve ser escalável! Portanto, verifique se a solução, oferece recursos que irão atender suas necessidades, no abertura da loja mas sobretudo num cenário de crescimento seguinte.

Opte por uma plataforma que oferece uma gama de integrações como: meios de pagamento, serviços de entregas e  sistemas de gestão para controle de estoque emissão de nota fiscal. A melhor forma de pesquisar a confiabilidade é verificando a credibilidade da plataforma através da opinião de outros usuários. Neste caso, repare nos comentários sobre a estabilidade da solução, principalmente em momentos de fluxo intenso, como feriados e data promocionais, como o black friday.

Se você está começando agora, e ainda está indeciso, nossa sugestão é que você comece por soluções prontas, que já entreguem lojas pré configuradas. Do contrário você terá que contar com ajuda de profissionais mais experientes para instalar e configurar a plataforma, além de ter que contratar serviços extras de hospedagem de sites e compras de certificados de segurança.

Com uma solução pronta, será muito mais fácil de colocar sua loja online em funcionamento. Atualmente existem diversas soluções que já oferecem pacote com hospedagem,  certificado de segurança, diversos layouts, e suporte ao usuário. Um exemplo é a loja integrada.

O uso de certificados de segurança SSL é primordial para um ambiente virtual seguro para a empresa e seus clientes. Lembre-se que os clientes devem sentir segurança num site onde vão incluir informações de cartão de crédito e CPF. Verifique, portanto, se a hospedagem da loja oferece o certificado.

3.Criação de conteúdo

Um conteúdo simples irá auxiliar no entendimento do usuário sobre seu tipo de produto. Além disso, um conteúdo relevante ao seu público, agrega valor à sua loja, associando sua marca ao fornecimento de conteúdo de qualidade e útil.

As redes sociais são ótimos ambientes para geração de conteúdo ao se criar uma loja virtual, porque além de divulgar seu trabalho, tem contato direto com o público alvo, para que o conteúdo possa alcançá-los de maneira veloz e eficaz.

4.Tempo de envio e resposta

Um dos principais motivos que dirá se sua loja virtual é confiável aos olhos dos clientes é o prazo de resposta e envio. Erros podem acontecer, produtos podem ser desviados durante um envio, um link pode sair do ar ou a descrição de algum item pode estar indisponível, as pessoas entendem que isso pode acontecer, mas o que vai contar na experiência do cliente é o prazo de resposta. 

Invista em mais de um canal de atendimento rápido, como telefone, chat e WhatsApp. Também tenha canais para contatos mais detalhados, como e-mail. O cliente quer sentir que está tendo atenção por parte da loja, uma vez que ele não pode ver o vendedor fisicamente e interação virtual pode instintivamente gerar uma mínima insegurança em clientes menos habituados nesse cenário.

5.Gestão

Uma gestão completa é primordial quando o assunto é oferecer qualidade. O gerenciamento de estoque eficiente é de grande valia para ter um prazo de entrega rápido e contundente com a demanda.

Busque um sistema que gerencie os pedidos dos clientes, integrado com controle de estoque, emissão de notas fiscais e controle financeiro. Esta solução simplificará a operação, possibilitando o gestor focar no planejamento e na parte estratégica do negócio.

Caso tenha uma loja física, é fundamental possuir um sistema que integre os dois canais, a loja física e virtual. Com isso, seu negócio terá inúmeras vantagens competitivas! Seus clientes terão mais comodidade, na medida em que todos os canais poderão trabalhar em sinergia, colocando em prática o conceito de omni-channel; compartilhando estoque, ponto de entrega ou troca de produtos entre outras opções.

Se você já tiver uma loja física, e pretende investir no comércio eletrônico, esse controle se torna mais necessário. Afinal, o gestor não pode perder o controle do que é vendido na loja virtual e na física ou acidentalmente misturar os estoques das duas lojas.

6. Facilitando a venda

Para garantir uma venda recorrente, é importante que o caminho para concluí-la seja facilitado, assim o cliente instintivamente lembrará de sua loja e a indicará. Para isso, algumas medidas podem ser tomadas na hora de abrir a sua loja online, como a escolha de diversos meios de pagamento(ex.: Paypal, Pagseguro, Mercado Pago, boleto ou depósito), destaque para produtos mais procurados, destaque para ofertas, etc.

A loja virtual nasceu como um facilitador de vendas, lembre-se disso, se restringir formas de pagamento você estará descartando uma parcela considerável de clientes, tal como não facilitar a visibilidade da sua vitrine virtual. Portanto, uma pesquisa de mercado periódica é sempre bom para manter suas vendas saudáveis no e-commerce. A intenção é que seus clientes encontrem o que procuram rapidamente, pagando com facilidade.

Se você possui loja física, dê a opção do cliente retirar o produto na loja, ou até mesmo fazer a troca. Afinal, muitas pessoas ainda preferem ir pessoalmente a uma loja para ver o produto, ou experimentar (no caso de vestuário), caso necessite. 

7. Marketing

Para alavancar seu negócio virtual, deve-se saber como atrair os clientes e mantê-los recorrentes. Isso é um trabalho de marketing, ou seja, aplicação de estratégias de marketing visando aumentar a visibilidade, reforçar a marca, ganhar novos clientes e consequentemente aumentar a lucratividade da loja. Portanto, esta é a hora de investir em marketing.

O gestor pode estudar estratégias de marketing como entender a concorrência, pesquisar produtos e público alvo, aplicação de preços e ofertas em sazonalidades, pesquisa de layouts de e-commerce mais efetivos, estratégias de abordagem de clientes por redes sociais ou mensagens no celular, propaganda, etc.

Outra opção é contratar uma agência ou profissional de marketing para orientar e aplicar as estratégias mais assertivas para sua loja virtual.

Conclusão 

Espero que este artigo tenha esclarecido as questões principais que surgem para os gestores na fase inicial da decisão de criação de um e-commerce. Toda empresa começou do zero um dia, grande ou pequena. Não tenha medo de começar, aproveite informações oriundas de conteúdo sobre comércio eletrônico, como esse artigo. Caso queira ver como a nossa solução Ted pode te ajudar a abrir sua loja online clique aqui.

Até a próxima!

Home office e a gestão do varejo à distância

Da necessidade ao hábito

O isolamento social causado pela quarentena não tem previsão para acabar, o que pede uma adaptação por parte dos empresários para continuar com gestão de suas empresas remotamente, adotando o trabalho de casa, conhecido como home office. Abaixo listamos os motivos que tornam esse modelo de trabalho remoto, combinado com um sistema em nuvem uma alternativa excelente para o varejo mesmo depois da quarentena.

Menor custo

Nem todos os funcionários de algumas empresas podem fazer home office, mas para aqueles que conseguem, se traduzem em uma sede de empresa com menos pessoas circulando, o que permite um espaço menor, com menos consumo de recursos. Também gera menos custo com transporte de funcionários, essa economia pode ser redirecionada para investimento no crescimento da empresa – o que torna um conceito muito popular em empresas que estão começando, as startups.

Segue a inovação

Com a tecnologia do armazenamento de dados na nuvem e os sistemas de gestão que trabalham nesse conceito, não existe mais a necessidade para o gestor de ter um servidor dedicado com o objetivo de guardar todos os dados da empresa, como estoque, clientes, produtos e fornecedores, por exemplo. Um bom sistema de gestão em nuvem já dá conta do recado de salvar e permitir editar todas suas informações e relatórios para serem acessadas on-line em qualquer dispositivo com acesso à internet. Tornando assim, desnecessária a necessidade de um gestor estar todo dia fisicamente na empresa apenas para ter acesso à estes dados. As barreiras geográficas são imediatamente eliminadas pelo home office e pela nuvem. Veja nossa solução na nuvem, clique aqui.

 
Alcance global mais barato

A empresa pode ter sedes em vários pontos geograficamente distantes sem o custo de montagem de um escritório físico, e com a vantagem de uma implementação do trabalho imediata, passando as etapas de contratação dos funcionários da nova sede.

Mais comunicação

Com todos conectados e visualizando um mesmo sistema em nuvem, as informações são compartilhadas sem a necessidade de reuniões presenciais ou burocracias como “bater na porta da sala do chefe”. A dica é utilizar de ferramentas eficientes de comunicação, como skype, teamviewer, Google meetings e também o WhatsApp web.

Novos horizontes

Com a inovação tecnológica praticamente diária, novos métodos de trabalho surgem, e com eles novos desafios e oportunidades aparecem. Espero que esse artigo tenha esclarecido os principais pontos sobre  o home office e te auxilie, caso deseje implementar esse método de trabalho que está sendo utilizado em larga escala devido a uma necessidade, mas que pode ficar como habitual em muitas empresas do nosso país e do mundo. Teste grátis nossa solução, clique aqui.

Até a próxima!

Suspensão de trabalho autorizada pelo governo

Foi anunciada, na última quarta-feira, uma medida provisória do governo federal que permite a suspensão de contratos de trabalho por dois meses, visando evitar um crescimento abrupto do desemprego. Essa medida também irá permitir uma redução da jornada e do salário em até 70%.

Essa medida é diferente da que foi anunciada – e revogada – semana passada. Desta vez os trabalhadores afetados receberão um benefício do governo.Esse benefício será equivalente ao que o trabalhador teria de direito ao seguro desemprego, tanto para suspensão de trabalho quanto para a redução da jornada.

A redução da jornada de trabalho pode ser feita de três maneiras: 30% 50% e 70%. O seguro desemprego irá bancar a parte que for reduzida da jornada como, por exemplo, se a jornada de um funcionário for reduzida em 30% a empresa irá pagar 70% e o trabalhador receberá os 30% do que tem direito ao seu seguro desemprego. As empresas que tiverem faturamento acima de R$4,8 milhões vão ter que pagar 30% da folha salarial.

Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho e autor desta MP, Bruno Bianco, essa medida poderá afetar 24,5 milhões de trabalhadores, considerando contratos reduzidos e suspensos. É importante salientar que o trabalhador não será impedido de receber o seguro desemprego na íntegra, ao final da suspensão de trabalho, caso seja demitido.

Os trabalhadores que recebem até R$ 3.117  poderá fazer uma negociação individual ou para quem ganha mais de R$ 12.202. No intervalo, isso só poderá ser feito através de acordo coletivo com os empregados. Em todos os casos, os sindicatos deverão ser informados do acordo.

Para conferir a MP na íntegra, acesse esse link do decreto oficial.

Quer ver mais artigos como esse? Acesse nosso blog.

Como vender durante a quarentena com o sistema Ted?

O surgimento de oportunidades

Como vender durante a quarentena? O isolamento social aplicado para o combate à pandemia de COVID-19 causou uma mudança no comportamento do consumidor de vários segmentos. Este é um exemplo de cenário que exige a adaptação de uma empresa para que ela mantenha suas vendas e se atualize com o possível surgimento de uma tendência para o consumo.

Já ouviu falar na frase “enquanto uns choram, outros vendem lenços”? Afinal,  são em momentos de adversidade que surgem grandes oportunidades, portanto o foco deve ser nos novos caminhos que o novo cenário pode proporcionar.

Já falamos sobre as medidas o que o governo e as instituições financeiras vão tomar diante deste cenário de quarentena, você pode conferir o artigo clicando aqui. Falamos também sobre estratégias de gestão para momentos como este e você pode conferir clicando neste link. Agora vamos falar o que o nosso sistema oferece e como ele pode ajudar nesse momento tão importante para quem comanda uma empresa. 

Como fazer venda sem loja física e sem plataforma e-commerce?

Caso você não possua uma plataforma de vendas online, não se preocupe, pois, abaixo listarei uma forma rápida de começar a vender durante a quarentena de forma on-line sem um sistema de e-commerce.

Usuários da solução de gestão da Tedsys estão relatando sucesso ao conseguirem alavancar suas vendas através de um contato ativo com seus clientes. Isto pode ser feito através de relatórios que mostram o faturamento por cliente, onde é possível entender, por exemplo: quem são os clientes que mais compram ou o que determinados clientes costumam comprar na sua loja, de modo a oferecer produtos preferenciais ou promocionais. 

Com o acesso ao cadastro dos clientes, eles estão fazendo um trabalho de contato mais próximo, enviando mensagens pelo WhatsApp, ligando e até os contactando pelas redes sociais, como Instagram e Facebook, os encontrando pelo nome ou número cadastrado no sistema. Essa estratégia garantiu uma aproximação maior com seu público, de forma virtual, trazendo uma oportunidade de estreitar o relacionamento em tempos de isolamento social motivado por uma pandemia, mas que também podem ser utilizados há qualquer momento.

Para aqueles cujo público se concentrar em determinada região ou cidade, o lojista pode contratar um serviço de entrega, entre os vários disponíveis, negociar um bom valor com a empresa de courrier e garantir a chegada de seus produtos na casa do seu cliente, desta forma será possível fornecer um serviço de entrega rápido e diferenciado que não depende dos correios ou transportadoras tradicionais.

Como controlar as vendas de forma remota?

O sistema Ted possui um controle bem interessante para aqueles que querem fazer vendas de forma on-line, podendo fazer todo o lançamento da venda, o acompanhamento da entrega, o pagamento e a emissão de nota fiscal, mesmo sem possuir uma loja virtual, tudo de forma integrada. Esta ferramente é o “Controle de Pedidos de Venda”

Lembrando que todas as informações ficam salvas na nuvem para consultas e gerenciamento futuros, e todas as vendas feitas na opção “pedido de vendas” são retiradas do estoque normalmente, como qualquer venda feita no sistema TED. Portanto, este sistema irá viabilizar uma venda completamente remota, gerenciando a separação do produto, retirada do estoque e forma de entrega, o que num momento como o de isolamento social por quarentena é excelente.

Como acompanhar os resultados?

O Dashboard de vendas e financeiro vão ser de grande ajuda num momento de crise do comércio, uma vez que traz os dados completos de maneira rápida e visualmente facilitada, para uma compreensão imediata das informações mostradas, podendo entender melhor o comportamento dos clientes e a evolução do faturamento divido por canais, seja por vendas feitas pela loja física ou de forma virtual.

Como criar promoções de forma inteligente

Promoções para o fim da quarentena também pode ser criadas, com base nas informações dos produtos mais comprados, vendas por dia da semana, presentes no dashboard de vendas e nos valores de compra e de venda contidos no cadastro de produtos. Uma promoção pode ser criada no sistema TED com alguns cliques, utilizando o nosso “assistente de promoção”, presente no ERP Tedsys, o que vai economizar bastante tempo e trabalho. Crie sua conta e comece a usar o Ted 4 agora mesmo, clique aqui para começar.

 

Esperamos que estas informações de como vender durante a quarentena com o nosso sistema tenha te ajudado, aproveitando de todas suas facilidades e funcionalidades, para vencer essa crise de maneira rápida e eficaz. Caso tenha ficado alguma dúvida, não deixe de nos contatar através do seu canal de atendimento preferido.

Até a próxima!

Medidas financeiras para conter a crise

As empresas dependem de uma saúde financeira estável para se manter funcionando, com sua folha em dia e competitivas no mercado. Quando se fala em crise, um alerta soa imediatamente para os gestores, “como vai ficar a saúde financeira da empresa?”, “A organização conseguirá se manter com uma queda tão grande nas vendas?” “Será que existe alguma linha de crédito disponível para este momento?”. Esses são exemplos de perguntas que são feitas nesse momento, e os órgãos do governo muitas vezes têm essas respostas, mas elas não são claras ou fáceis de se achar. Então quais medidas financeiras para conter a crise devo tomar?

Foi pensando nisso que reunimos abaixo as medidas tomadas por bancos e entidades do governo, que apostam no aumento de crédito e na flexibilização e adiamento do pagamento de dívidas para segurar a economia do nosso país, as medidas financeiras para conter a crise estão explicadas de maneira simples, para você entender e se programar ao final da leitura deste artigo.

Medidas do Governo

Acabou de ser anunciado hoje, sexta-feira dia 27 de março de 2020, que o Governo vai liberar uma linha de crédito emergencial que irá financiar os salários de pequenas e médias empresas pelo período de 2 meses.

De acordo com o presidente do Branco Central, Roberto Campos Neto, esse crédito irá financiar no máximo, dois salários mínimos por trabalhador. 

Ou seja, quem já ganha até dois salários mínimos não terá alteração no seu rendimento, e quem recebe mais que isso, a outra parte ficará a cargo da empresa que o contratou, de acordo com os critérios que ela estabelecer.

De acordo com o Banco Central:

  • o financiamento estará disponível para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano;
  • o dinheiro será exclusivo para folha de pagamento;
  • a empresa terá 6 meses de carência e 36 meses para pagar o empréstimo;
  • os juros serão de 3,75% ao ano.

Importante frisar que as empresas que contratarem essa linha de crédito não poderão demitir funcionários pelo período de dois meses.

“O dinheiro vai direto para a folha de pagamento. A empresa fecha o contrato com o banco, mas o dinheiro vai direto para o funcionário, cai direto no CPF do funcionário. A empresa fica só com a dívida”, disse Campos Neto.

De acordo com Campos Neto, a previsão é de que 1,4 milhão de pequenas e médias empresas do país sejam beneficiadas, num total de 12,2 milhões de pessoas. 

Esta programa terá a parceria do BNDES(Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e bancos privados, numa proporção de 75% oriundos do tesouro nacional e os 15% restantes dos bancos privados. Das empresas que assinarem os contratos, os trabalhadores terão o dinheiro repassado direto para suas contas, pelos bancos.

Negociação de dívidas bancárias

No dia 16 de março de 2020, medidas para facilitar a negociação de dívidas com o banco foram aprovadas pelo CMN(Conselho Monetário Nacional), afrouxando requerimentos que devem ser cumpridos pelos bancos, como não precisarem aumentar o provisionamento para repactuação de operações de crédito nos próximos 6 meses, estima-se benefício de R$ 3,2 trilhões em crédito.

A folga de capital do sistema financeiro nacional foi ampliada em R$ 56 bilhões, isso significa mais espaço para renegociações entre empresas e bancos, elevando a capacidade de crédito para R$637 bilhões. Essa folga foi feita por meio da redução do Adicional de Conservação de Capital Principal (ACPConservação) que as instituições financeiras precisam cumprir. Houve uma queda de 2,5% para 1,25% nessa taxa, pelo prazo de um ano. E passando esse período, essa taxa vai ser gradualmente restabelecida até 31 de março de 2022.

Prazo para entrega da Defis e da Dasn-Simei prorrogado

Em função dos impactos da pandemia do Covid-19, o Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou a Resolução  153 CGSN/2020, publicada no Diário Oficial da União de hoje, 26-3, que prorroga, excepcionalmente, para o dia 30/06/2020 o prazo para apresentação da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis) e da Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (Dasn-Simei), referentes ao ano calendário 2019.

Medidas das instituições financeiras

Os bancos também vão adotar medidas para ajudar pessoas físicas e jurídicas, visando segurar a crise, abaixo o que cada instituição vai fazer.

O Banco do Brasil vai dispor de R$ 100 bilhões para empréstimos de pessoa física, jurídica e agronegócio. Recursos para saúde, infraestrutura energética, viária e de educação estão garantidos também.

A cooperativa SICREDI vai prorrogar por 60 dias as parcelas de crédito de pessoa física e jurídica.

O Desenvolve São Paulo Disponibilizará R$200 milhões para capital de giro, reduzindo a taxa de juros de 1,43% para 1,20% ao mês e o prazo do financiamento aumenta de 36 para 42 meses, com carência de 9 meses, antes da pandemia eram 3 meses de carência.

A Caixa Econômica Federal vai destinar R$ 30 bilhões para comprar carteiras de crédito consignado e de financiamento de veículo, de bancos médios caso eles passem dificuldades. R$ 40 bilhões também serão liberados para capital de giro principalmente para empresas do setor de imóveis, além de R$ bilhões para o setor agrícola

O Banco Itaú liberou a prorrogação das dívidas pelo prazo de 60 dias pelo Itaú sob medida, permitindo a alteração da data original. E quem já contratou o Itaú sob medida pode renegociar o vencimento da sua próxima parcela para até 60 dias após a contratação. E como a taxa Selic reduziu para 3,75%, houve um corte de 0,5% para os juros dos créditos de pessoa física e pessoa jurídica.

Santander ampliou em 10% o limite do cartão de crédito de todos os seus clientes adimplentes. E poderá prorrogar em até 60 dias as linhas de crédito pessoal, direto ao consumidor (CDC), imobiliário e preventivo.

O Banco Bradesco

reduziu em 0,5% a taxa de juros das linhas de crédito para clientes pessoas físicas e jurídicas, devido à taxa Selic reduzir para 3,75%

Esperamos que essas informações tragam uma maré de boas notícias para sua empresa e que as medidas financeiras para conter a crise citada nesse artigo ajude você nessa crise.

Quer ver mais artigos como esse? Acesse nosso blog.

Até a próxima!

Gestão em tempos de crise, dicas para seu negócio

A criatividade é algo inerente ao ser humano, nos difere de outros animais e muito provavelmente está presente numa porção mais generosa nos empreendedores. Ser empresário exige criatividade, desafios são constantes na vida de um gestor e quando tratados de maneira positiva, empiricamente são superados com sucesso. Nesse artigo trago algumas dicas de gestão para tempos de crise.

Uma crise é um desafio, e como todo desafio, existe para ser superada. No artigo abaixo, reuni informações, dicas e exemplos para te dar um apoio para que uma crise seja apenas mais um desafio que ficou pra trás, durante seu longo caminho de sucesso.

Contagem de estoque

Uma medida que é primordial para uma gestão eficiente é o controle do estoque, muitas vezes a empresa não consegue contá-lo periodicamente devido ao grande fluxo de trabalho do dia-a-dia. Uma ótima maneira para aproveitar um momento de queda no movimento da loja é fazer um inventário do estoque da empresa, um inventário pode ser feito com o auxílio de um sistema de gestão. Teste grátis nossa solução de gestão, clique aqui para começar agora.

Opções para sua empresa

O caminho a seguir em tempos de crise tem duas opções primariamente: pausar ou continuar. Cada um tem sua particularidade e uma medida não é necessariamente melhor que a outra, tudo depende de como essa medida vai se encaixar para seu modelo de negócio.

Uma pausa tem sido uma saída estratégica inteligente tomada por empresários, quando seu negócio depende do contato direto de clientes ou quando depende que outras empresas estejam investindo. Para essa estratégia, a opção é férias coletiva para os colaboradores ou remanejamento de atividade de certos funcionários, que conseguem ser potencialmente efetivos em outros campos e dar resultados para a empresa não parar completamente nesta pausa, ou seja, só algumas atividades são pausadas enquanto outras, mais conservadoras, são focadas. Eu preparei um artigo que dá mais foco nessa parte legal entre empregador e empregado em tempos de crise, você pode acessá-lo clicando aqui.

Todavia, se a empresa puder continuar vendendo seu produto para o consumidor final sem que medidas restritivas causadas pela crise a afetem, uma saída inteligente é repensar seu modelo de negócio, adaptando às adversidades. Adaptar-se em tempos de crise, significa entender o que precisa ser feito para que o cliente continue comprando seu produto e enxergando valor nele. Isso engloba, criação de conteúdo, investimento de tempo e pessoal em marketing, criar um serviço de delivery para seu produto, criar promoções ou pacotes promocionais, mudar de fornecedor, focar em um produto com maior apelo de preço e maior margem, etc.

Você vai decidir o que se encaixa melhor para sua empresa e para o cenário que estiver sendo enfrentado naquele determinado momento.

Exemplos de sucesso

A investidora Camila Farani, diz que quem pensa na empresa como uma equipe sai na frente e que a venda é detalhe e experiência. O que ela quer dizer é que quando um gestor pensa na melhor estratégia não só para seu cliente, não só para ele, mas também para seus funcionários, ele vai ter um retorno muito mais satisfatório, pois terá funcionários contentes, trabalhando bem e rendendo melhor onde se sentem mais confortáveis, isso se aplica a todas esferas da organização, muitas medidas podem parecer equivocadas, mas uma experiência diferente de um mês, pode criar um funcionário lucrativo de décadas. E sobre a experiência e detalhes nas vendas, a crise também é uma boa hora para se experimentar novas abordagens e ajustar detalhes, como por exemplo descobrir que seu faturamento aumenta 20% simplesmente por divulgar um serviço de delivery nas redes sociais.

Para o palestrante e especialista em vendas Marcelo Ortega, uma crise é simplesmente um sinônimo de oportunidade para os empreendedores,Crise é oportunidade versus risco. Economia fraca é parte do risco do empresário e do time de vendas”, diz.

Por isso, o importante é com cautela observar os riscos e a tendência do mercado com os anseios dos clientes e identificar a oportunidade para se tomar um rumo, visando superar esta crise.

Agora é um projeto de olhar, avaliar as fortalezas, pontos fracos, onde a coisa está pegando mais. É um momento de reflexão”, sugere Jeferson Mola, professor do curso de Marketing da Universidade Anhembi Morumbi

Uma boa estratégia é avaliar se existem problemas na hora de vender. O produto pode chegar ao cliente durante a crise? Por que o cliente pode não comprar? O preço está atrativo para o momento?

A partir daí vai criar ações para resolver isso. Dessas percepções a gente tem que começar a criar algo. Se ninguém está comprando porque falta dinheiro, pense em promoção para que o consumidor ache mais interessante. Se o cliente não chega, faça uma estratégia de comunicação para as pessoas se lembrarem de você”, indica Mola.

Segurança das informações e gestão remota

Diante de um cenário de crise, os empresários também se questionam como fica a segurança de suas informações e se ele poderá acessá-las de qualquer lugar, pois dependendo da crise o empresário talvez não possa estar presente na empresa todo o tempo. Para estes problemas, uma solução necessária e eficaz é adotar uma gestão por um sistema que funcione na nuvem, que utilize um bom servidor e tenha segurança de criptografar estas informações (certificado SSL).

Ao toque de um dedo, um bom sistema de gestão em nuvem dá acesso aos relatórios consolidados, em tempo real e do período desejado dos dados mais importantes para o gestor, você consegue ver, por exemplo, quais estão sendo os 10 produtos mais vendidos desde o início do mês passado até a última quarta-feira e quais clientes mais compraram na sua loja neste período. Imagine saber quais contas estão para vencer, qual foi seu faturamento até o momento e qual a previsão de lucro para o mês, e se preparar para o período de fim da quarentena, tudo isso do seu celular, computador ou tablet, bem é isso que um sistema em nuvem faz pela sua empresa, e muito mais. 

No outro artigo, eu detalho mais como um sistema em nuvem pode conferi-lo clicando aqui.

Boa sorte e até o próximo artigo!

Por que migrar o ERP da sua empresa para a nuvem?

Por que migrar o ERP da sua empresa para a nuvem?

Em um mundo cada vez mais conectado e dinâmico, as empresas buscam deixar seus processos mais ágeis e eficientes através da adoção de softwares para gestão. E, algumas perguntas que muitos empreendedores se fazem, mesmo nos dias de hoje são: Vale a pena levar controle da minha empresa para a nuvem? Será mesmo seguro? Quais são as verdadeiras vantagens? Veja diversos motivos para migrar para um ERP na nuvem.

Mas afinal, o que é a nuvem?

Computação em nuvem (do inglês cloud computing), pode parecer algo obscuro, mas, na verdade, é um termo que faz referência a rede global de servidores, uma tecnologia que permite o acesso a arquivos, serviços e sistemas por meio da internet, podendo acessá-los online, de qualquer dispositivo, sem a necessidade de instalação de programas ou armazenamento de dados local.

O que é um ERP?

O ERP (Enterprise Resource Planning ou Planejamento dos Recursos da Empresa) se trata de um sistema integrado de gestão empresarial. Apesar dos inúmeros benefícios deste tipo de tecnologia, muitos
estabelecimentos insistem em manter seus dados armazenados em um local físico, o que nos dias de hoje, se torna algo extremamente perigoso e prejudicial.

Utilizar sistema de gestão na nuvem, não é apenas uma tendência, mas sim uma realidade já bastante comum para muitos. Se você ainda não conhece quais são as vantagens de migrar o ERP da sua empresa para a
nuvem, ou não sabe como começar, não se preocupe, pois selecionei as principais dicas abaixo.

Por que ter um ERP?

Implantar um software ERP,  a décadas atrás, era uma solução acessível apenas a grandes empresas e indústrias, em razão da alta complexidade do processo e do alto investimento necessário em infraestruturas, equipamentos e licenças de software.

No entanto, nos dias atuais, é possível encontrar sistemas com investimentos bem acessíveis. Portanto, considerando o baixo custo de investimento, juntamente com as inúmeras vantagens que a solução de gerenciamento integrado oferece, é impossível falar em gerir qualquer negócio, seja ele de pequeno ou grande porte, sem algum tipo de sistema de gestão.

Com um ERP, o trabalho da equipe se torna muito mais eficiente e produtivo, a possibilidade de colher relatórios mais completos e eficazes faz com que as métricas e indicadores de performance da empresa sejam acompanhados e continuamente aprimorados, pois, na medida em que tudo se torna mais transparente, os administradores conseguem tomar medidas mais eficazes.

1) Não perder informações

Muitos negócios, principalmente na área de varejo, costumam ter suas informações armazenadas em cadernos, blocos de notas ou até mesmo em sistemas físicos onde os dados estejam guardados dentro do computador principal, sem nenhum tipo de proteção contra vírus, ou perdas.

Através de um sistema ERP na nuvem, além de manter todos os seus dados na internet, você poderá visualizá-los em uma única plataforma online , sem precisar utilizar aplicativos instalados ou programas para ter acesso a diferentes setores.

Outra vantagem relevante em comparação com os sistemas comuns, é que os melhores ERPs contam com backup interno automático, de modo que o usuário não tenha que se preocupar em fazer cópias de segurança dos dados continuamente. Portanto, se, por algum motivo, você perder alguma informação relevante dentro do sistema, será possível recuperar os dados de forma completa.

2) Menor Custo

Ao contrário de muitos sistemas de gestão integrada, o ERP na nuvem tem a ampla vantagem de trabalhar com  valores competitivos, e mesmo assim conseguir oferecer serviços superiores aos tradicionais que já conhecemos.

Além disso, ao migrar a solução de gestão para a nuvem, você poderá deixar de ter gastos com ineficiência operacional, e começará a focar em áreas estratégicas e cruciais para o negócio, mas que dificilmente podem ser automatizadas, como por exemplo: melhoria na qualidade do produto, na expansão da rede, estudo de tendências, na negociação e busca de novos fornecedores e etc.

3) Segurança

Verifique se o sistema de gestão na nuvem, oferece solução de segurança criptografada para proteger
todas as informações contra acessos indesejados, através do uso das mesmas tecnologias utilizadas por sistemas bancários e instituições governamentais e militares, os chamados Certificados SSL, que podem ser facilmente identificados pelo desenho do “cadeado” na barra do navegador .

É muito importante também, verificar se a infraestrutura, da empresa responsável pelo sistema ERP,  adota boas práticas para lidar contra possíveis tentativas de acessos não autorizados de terceiros, fazendo com que a proteção de dados da sua empresa seja completa.

4) Acessibilidade

Para ter o ERP da sua empresa na nuvem, não basta conseguir acessar o sistema apenas através  de computadores tradicionais – desktops. É necessário que você possa acessar o seu sistema através dos principais dispositivos que você utilize no dia a dia. Afinal, a grande vantagem deste sistema, é poder visualizar informações a qualquer momento e de onde você estiver.

Dê preferência por uma solução que ofereça suporte responsivo, dentro do navegador de internet padrão, ou seja, que possibilite acessa lo de qualquer plataforma, seja desktop, notebooks, smartphones ou tablets; e de qualquer sistema operacional – Windows, Android, iOS, Linux – pois assim você terá total liberdade de acessar o sistema sem ficar preso a um único local, equipamento ou tecnologia, pois, caso aconteça algum tipo de problema no computador ou na rede, basta continuar utilizando o sistema em outro aparelho.

Esta flexibilidade de acesso permite que a empresa consiga expandir e abrir filiais mais facilmente, com muito menos custos e burocracia,  pois para acessar o sistema, basta possuir um dispositivo com acesso a internet.

5) Flexibilidade

Ao utilizar uma solução online, com alta disponibilidade de acesso, será muito mais fácil de dividir as tarefas com seus colaboradores, pois cada setor poderá enxergar as informações necessárias para o desempenho de suas funções com muito mais agilidade, fazendo com que a busca por dados específicos se torne mais simples.

Um sistema gerencial é necessário e fundamental para qualquer empresa, independentemente do nível de maturidade em que ela se encontre.

6) Infraestrutura

Além de todas as vantagens técnicas e visíveis, é muito importante escolher um sistema que, além de passar confiabilidade, tenha uma infraestrutura capaz de suportar sua demanda de operação – vendas, cadastros, relatórios, emissão de notas fiscal.

Para garantir a segurança de dados, velocidade no acesso aos serviços e proteção jurídica, o fornecedor escolhido deverá possuir um servidor hospedado em território brasileiro, e que consiga suportar grande volume de acessos de usuários diferentes ao mesmo tempo.

Bons sistemas de ERP na nuvem costumam ter a hospedagem da plataforma em empresas com credibilidade reconhecida, como, por exemplo a AWS da Amazon. Não é a toa que serviços em nuvem bem conhecidos, como o Netflix e Uber, utilizam esta plataforma.

7) Busque referências de outros usuários

Buscar referencias é extremamente importante para a tomada de decisão, com ela é possível saber o nível de satisfação que clientes possuem com determinado produto ou serviço.

Busque por depoimentos de pessoas que já tiveram algum tipo de experiência com aquele serviço. Geralmente, os próprios sites da empresa que fornece a solução ERP,  já disponibilizam esses depoimentos e avaliações, porém, muitas vezes, contem apenas o que é de relevância para eles.

Pesquise sempre em sites como o Google,  Facebook, e Reclame Aqui, que oferecem um espaço aberto com depoimentos, problemas e experiências que outros usuários já tiveram com determinada solução.

Quer experimentar um ERP na nuvem que atenda todos os requisitos abordados?

Caso queira conhecer um sistema ERP que contemple todos os pontos abordados neste artigo, clique aqui e experimente grátis!

Comece agora mesmo a migrar o ERP da sua empresa para a nuvem!

Fale com o nosso time de analistas e descubra qual a melhor solução para que o seu negócio
continue crescendo de maneira inteligente.

Veja mais artigos como esse clicando aqui.

Como vender mais e melhor no varejo

Quando falamos em metas, logo surgem aqueles pensamentos sobre tarefas difíceis, trabalhos complicados ou até mesmo impossíveis. Mas enfim, o que são metas? Seguindo a definição no dicionário, meta é o que se pretende alcançar, objetivo a conquistar.

Continue reading

3 Dicas para ganhar mais com o mix de produtos

Com a economia em baixa está sendo um grande desafio para os empreendedores manter os negócios financeiramente estáveis e garantir a continuidade no mercado, sendo assim as empresas estão adotando diversas estratégias para redução de custos e aumento de faturamento, tentando manter-se competitivas no mercado.

Continue reading