10 principais erros ao vender online e como evitá-los

Para aqueles que têm uma loja física, optar por vender online, torna-se uma ótima estratégia para aumentar seu ticket médio, além de gerar maior visibilidade para a sua marca.

Atualmente,

Esse dado torna o país o terceiro do mundo que mais realiza compras a partir da internet.

No primeiro semestre de 2020, devido à pandemia, o setor registrou um crescimento de 81% em abril se comparado ao ano de 2019, de acordo com levantamento feito pele E-commerce Brasil.

Mas nem tudo são flores. Vimos o mercado do varejo online aquecido e muitas pessoas tentando pegar uma fatia desse bolo sem saber ao certo como começar.

Assim, a partir deste post, queremos lhe mostrar os erros mais comuns ao vender online e o que você pode fazer para evitá-los.

Boa leitura!

10 erros mais comuns ao vender online e como evitá-los

1 – Não diversificar os canais de venda

Depender de um único canal de venda é uma estratégia arriscada. A palavra certa aqui então é diversificar.

Você abriu uma loja virtual, mas ainda não possui muitas visitas, as vendas ainda são poucas ou você ainda não tem verba para investir em um planejamento de marketing.

Amplie seus canais de venda. Marketplaces são uma boa opção. O Mercado Livre, por exemplo, não exige que o lojista possua CNPJ ao criar uma conta. 

Basta então, que você selecione qual categoria de produto irá vender, elaborar um anúncio com um título que descreva o seu produto de forma resumida, uma descrição completa com as principais características e diferenciais e publicar.

Outra opção, como a Americanas, por exemplo, permite que você crie sua própria loja virtual, atrelada ao marketplace, grátis. 

vendas online

Redes sociais também são uma boa pedida. Já pensou em vender pelo Facebook ou Instagram? 

Ou seja, opções é o que não faltam, tire um tempo e pesquise quais canais de venda são os mais indicados para o seu negócio.

2 – Começar a vender online sem ter um público definido

Voltamos, aqui, a falar do público. Mas afinal, qual é o seu público ideal?

Se você não possui um público definido, como irá trabalhar suas estratégias de venda? Direcionar seus esforços comerciais e de marketing para, absolutamente, todas as pessoas que comprar produtos pela internet é um tiro no pé.

Isso acontece porque é justamente essa definição de cliente que irá determinar diversos elementos dentro da sua empresa e loja virtual.

Portanto, antes de iniciar qualquer esforço de venda, realize uma pesquisa sobre as pessoas que se interessam pelo que você vende, entenda quais as suas principais necessidades e como o seu produto pode ser a solução ideal.

Além disso, não deixe de criar uma persona, assim, ficará muito mais fácil direcionar as estratégias que geram lucro ao seu negócio.

Por exemplo: se você trabalha com venda de roupas e atende tanto o público masculino, quanto feminino e infantil, direcione uma estratégia de venda específica para cada segmento, separadamente.

3 – Não estudar a concorrência

Analisar a concorrência é essencial, não somente para saber como as ações deles podem impactar o seu negócio, como também é uma ótima maneira de saber o que não fazer.

Mas não pense que todos que vendem na internet são seus concorrentes. Você deve separar seu levanto entre os concorrentes diretos, indiretos e genéricos.

Concorrentes diretos trabalham com o mesmo segmento que o seu, vendem o mesmo tipo de produtos para personas semelhantes às suas. Como, por exemplo, Nike e Adidas.

Seus concorrentes indiretos ainda trabalham com produtos semelhantes, mas para públicos distintos. Aqui podemos citar os refrigerantes e os sucos.

E os genéricos são aqueles que vendem produtos do mesmo setor que o seu e que podem vir a se tornar concorrentes diretos. Uma loja de roupas de academia e uma loja de suplementos, por exemplo.

Além de diferenciar seus concorrentes, estude como eles se portam nas redes sociais, blogs, lojas físicas, sites, etc. Solicite um orçamento, entre em contato com o suporte. Veja onde eles estão errando e acertando.

A ideia aqui não é copiar, mas sim, superar.

4 – Falta de planejamento logístico para vender online

A falta de planejamento logístico das empresas é um dos pontos mais críticos e precisa ser estudado com cautela.

A logística é um procedimento complexo e que passa por diversas etapas, inclusive, obter as entregas mais rápidas, com os menores custos.

E aqui, vale analisar estratégias como:

  • SKU (Stock Keeping Unit): que é o código de letras e números gerados para identificar item por item do seu estoque.
  • FIFO (First In, First Out) ou PEPS (Primeiro a Entrar, Primeiro a sair): como o nome já diz, nesse conceito de logística, os produtos mais antigos devem sair primeiro. 
  • FEFO (First Expired, First Out): essencial para produtos com data de validade. Nesse caso, o primeiro a expirar, deve ser o primeiro a sair. Não importando a data de chegada.
  • Logística reversa: destinada principalmente para empresas que trabalham produtos que precisam de um descarte direcionado, como agrotóxicos, pilhas, pneus, lâmpadas, etc. Essa operação deve ser estruturada com a disponibilização de diversos canais de coleta para o recolhimento, inclusive para o descarte feito pelo consumidor final.
  • Dropshipping: nada mais é do que terceirizar a gestão do estoque para uma operadora de logística. Ou seja, você não precisaria se preocupar com armazenamento nem envio dos produtos.

E ainda tem muito mais estratégias que podem ser utilizadas, então não deixe de separar um tempo exclusivo para estudar como executar a logística do seu e-commerce.

Além de minimizar custos, otimizar a logística e gestão da empresa, permite que o seu consumidor obtenha o produto de maneira rápida e prática aumentando a satisfação do cliente e, possível fidelização.

5 – Não ter meios de pagamento digitais e/ou variados

Quanto mais opções de pagamento a sua empresa tiver, maior será a oportunidade de vender, simples assim.

Quais são as chances de um cliente em potencial abandonar uma compra ao notar que não existe na sua loja virtual a opção de pagamento mais conveniente para ele?

O que o público, no geral, busca hoje em dia é praticidade e rapidez.

Assim, oferecer todas as opções de pagamento possíveis para o seu e-commerce é uma forma de garantir suas vendas.

Portanto, algumas dicas interessantes para você implantar, incluem:

  • Dar opções maiores de bandeiras de cartão;
  • Oportunidade de o cliente dividir a compra em dois cartões;
  • Ofereça débito, crédito, PIX e boleto.

E não espere o concorrente sair na frente, fique sempre por dentro das novidades do mercado. Um exemplo, é o WhatsApp Pay, que mesmo com uma baixa adesão inicial pelo público brasileiro (de acordo com levantamento feito pelo canal Tecmundo), é mais uma opção a ser considerada.

E para automatizar todas as suas transações comerciais por cartão em um único lugar, não deixe de utilizar o TEF, que é o sistema de Transferência Eletrônica de Fundos, onde as transações da sua empresa, realizadas com cartão, são feitas de maneira segura e rápida, gerenciadas de um único canal.

Confira tudo sobre TEF neste conteúdo completo.

6 – Não investir em um bom atendimento ao cliente e no pós-venda

Parece figurinha repetida, mas, infelizmente, é extremamente comum. Diversas empresas perdem vendas pois não entregam um atendimento satisfatório, seja na conquista do cliente, na apresentação do produto ou serviço, ou no ato da compra. 

É preciso entender que todas as etapas do funil de vendas devem ser muito bem planejadas

Uma das formas mais interessantes de conquistar os clientes é oferecer uma boa experiência em todos os seus pontos de contato.

O termo “consumidor 5.0”, surgiu devido a todas as mudanças tecnológicas sofridas pelo mercado, com novas formas de compra e relacionamento com as marcas.

Esse público realiza buscas avançadas em busca de um produto. Ele analisa referências, qualidade, comparativo de preços, busca feedbacks de quem já comprou e aprovou ou não o produto, e as exigências não param por aí.

Esse é o cliente que precisa de uma loja 100% focada nas suas necessidades, isso inclui agilidade no atendimento, presença em diversos canais de venda (omnichannel) e produtos de qualidade.

vender online ted
Tendo um público tão exigente assim, é mais do que necessário contar com um atendimento especializado e presente em diversos canais de contato.

Portanto, não esqueça de inserir na sua lista de canais de atendimento e plataformas como:

  • Whatsapp Business;
  • SAC;
  • Redes sociais;
  • Chatbots.

7 – Cadastros e descrições incompletas dos seus produtos

Sabemos que a experiência que o cliente possui em uma loja física e virtual são bem diferentes. 

Na loja física, ele pode ter o contato direto com o produto e já saber a qualidade do material, textura, usabilidade, se tem em outras cores ou modelos e tudo isso com a ajuda do atendente. 

Em uma loja física é diferente, o consumidor não possui contato direto direto com o produto, por isso precisa é imprescindível que os anúncios da sua loja virtual tenham o máximo de informações possíveis, como:

  • Imagens com alta resolução e que mostrem o produto em mais de ângulo
  • Cadastro correto: defina a categoria certa do produto e cadastre com todas as informações pertinentes.
  • Descrição completa: não economize nas palavras. Descreva todas as principais características do produto, usabilidade, cores, tamanho, material, diferenciais, etc.
  • Se possível, publique um vídeo curto mostrando como usar o produto.

A ideia é que uma loja virtual consiga aproximar o consumidor o máximo de uma de uma experiência de compras ao vivo. 

8 – Poucas opções de produtos para vender online

Outro erro muito comum de quem decide vender online é não ter uma diversidade de produtos.

Ou seja, você pode até ter exclusividade naquilo que está vendendo e realizar boas vendas deste produto, mas o ideal é que o cliente volte mais vezes ao seu site, e, para isso, é preciso ter novidades e opções diversas para compra.

Uma possibilidade, é trabalhar com produtos que se complementam. Por exemplo, se você vende roupas, busque acessórios que possam aumentar as opções de combinações.

Essa diversidade de opções é perfeita no momento de criar kits de produtos para vender. 

Os kits ajudam a aumentar o ticket médio das vendas e o giro de estoque, auxiliam na saída de produtos encalhados e estimulam a fidelização de clientes.

E, claro, diversificando seus produtos, você também aumenta o alcance da sua loja para públicos diferentes.

9 – Não ter uma estratégia de Marketing para vender online

Muitas empresas acreditam que, por já estarem na internet, as pessoas encontraram as suas lojas sozinhas.

Se você é um desses empreendedores, pare agora mesmo e repense essa estratégia.

Atualmente, são mais de 4 bilhões de páginas na internet e a sua é mais uma nesse mar de links.

Portanto, não basta você construir uma loja virtual com um ótimo design e que seja funcional, é preciso divulgá-la.

Assim, investir em marketing digital diante desse cenário é essencial para dar maior visibilidade aos seus produtos e escalar suas vendas.

Aposte no inbound marketing ou marketing de entrada, para atrair, converter e encantar clientes no e-commerce.

Mídias sociais e marketing digital também não podem ficar de fora. Se o seu público é heavy user de Instagram, Facebook, TikTok, você também tem que estar presente nesses canais, interagindo e oferecendo informações relevantes para o seu cliente em potencial.

Não deixe que essa etapa seja negligenciada no seu empreendimento, separe um orçamento e estude as melhores formas de investir nessa estratégia.

10 – Não ter um sistema de gestão empresarial

A falta de um sistema de gestão empresarial é outro fator que pode prejudicar o seu negócio.

Todo o varejista que tenha como objetivo lucrar e ver o seu empreendimento prosperar, precisa ter a organização interna da sua operação como primeira regra a ser seguida.

O sistema de gestão empresarial otimiza a administração do negócio garantindo um controle financeiro, gestão de estoque, aumento nas vendas, indicadores de resultado, segurança e controle na execução de tarefas.

Além disso, ainda podemos incluir a análise do histórico dos usuários que acessaram a sua página, prevendo tendências de compra.

Esse sistema não pode faltar no seu planejamento e nós podemos te ajudar a escolher o sistema ideal para o seu negócio. Não deixe de conferir as principais dicas!

Ainda está começando? Saiba como iniciar suas vendas online

O consumidor brasileiro está comprando cada vez mais no varejo online. Um dado que deixa claro essa informação, é o aumento do faturamento do varejo online em 56,8% nos primeiros oito meses de 2020, segundo dados apresentados pela NeoTrust.

O salto aconteceu devido à adaptação de mais de 135 mil lojas que decidiram vender online, segundo a pesquisa desenvolvida pela ABComm.

Já os números de 2021 apontam, que nos três primeiros meses do ano, as vendas digitais cresceram 57,4% em comparação ao ano anterior, onde já foram realizadas 78,5 milhões de compras online.

Ou seja, fica claro que o varejo online veio para ficar e se você deseja seguir essa tendência comece com um planejamento bem estruturado e, vale ainda, recapitularmos alguns pontos sobre iniciar suas vendas online:

  • Investimento inicial baixo: seus gastos serão, inicialmente, com a compra de um domínio e hospedagem. Se escolher vender em um marketplace, terá que calcular, ainda, as comissões cobradas por cada venda e de acordo com a categoria do produto. Independente do canal online que você decidir vender, a economia que você terá com os gastos fixos de uma loja física são consideráveis.
  • Vender 24 horas por dia: a loja virtual funciona 24 horas por dia e as vendas podem acontecer ao longo do dia, tarde ou noite. Ou seja, suas vendas podem acontecer enquanto você estiver dormindo ou viajando. Mas atente, em conferir se a gestão das vendas está seguindo sem nenhum imprevisto.
  • Monitorar o desempenho: com uma loja virtual você pode acompanhar de perto o desempenho da empresa através dos relatórios automatizados gerados.
  • Integração com outras áreas como controle de estoque, financeiro, logístico e comercial. Otimizando a gestão do negócio.

Em seguida, avalie quais serão os canais de vendas que o seu negócio irá aderir, para que você possa estar o mais presente possível no dia a dia do seu consumidor.

vender online

Outros passos que serão pertinentes na sua jornada, incluem:

  • Mapear quem é o seu público-alvo no segmento online;
  • Escolha de fornecedores para a sua loja física e online;
  • Defina qual será o catálogo de produto;
  • Liste quem são os seus concorrentes diretos;
  • Realize a administração financeira correta;
  • Registre o nome da sua empresa a partir de um domínio;
  • Diversifique os meios de pagamento;
  • Não esqueça do marketing digital;
  • Construa um processo de logística eficiente;
  • Aposte em um sistema de gestão empresarial;
  • Faça uma gestão de estoque de qualidade;
  • Entenda o funcionamento da legislação do seu estado para aderir a um e-commerce.

Conclusão

Se os resultados de venda não estão positivos, passe a avaliar a sua abordagem e identifique se não está cometendo nenhum dos erros que foram mencionados acima.

As vendas online geram resultado, mas para isso, é necessário estudo e automatização, afinal de contas, com tantas etapas, é difícil administrar tudo somente na ponta do lápis.

Posts Recomendados

No comment yet, add your voice below!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *