Guia completo para vender online

 

Vender pela Internet não é uma atividade nova no Brasil, ela é realizada há pelo menos uma década em nosso país, mas ganhou ainda uma força com a chegada da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e todas as suas restrições. 

Muitos empreendedores se viram obrigados a começar a vender online para tentar garantir alguma renda enquanto seus negócios estão fechados, porém, grande parte deles também descobriu no comércio online uma grande oportunidade de negócio antes não explorada.

Para ingressar nesse mercado é preciso muito mais do que ter um site ou conhecer um pouco sobre internet, é preciso criar uma estratégia de venda, criar uma loja online, conhecer seu público, apresentar seu produto em uma linguagem diferenciada, entre outras ações necessárias.

Se você deseja comercializar seus produtos no universo digital, neste artigo vamos te apresentar um guia completo para vender online com dicas sobre onde vender, como está o mercado atual, plataformas mais utilizadas e outras informações importantes que vão fazer seu negócio se destacar na internet.

 

Como trabalhar com vendas online

como trabalhar com vendas online

As vendas online têm crescido muito nos últimos anos. Segundo dados do relatório Webshoppers, realizado pela Ebit|Nielsen em parceria com a Elo, o faturamento desse tipo de atividade saltou de 8,4 bilhões de reais em 2011 para 26,4 bilhões em 2019. Com a pandemia, esse mercado está mais aquecido do que nunca, conforme você verá mais adiante. 

Ingressar no universo digital e ter produtos para vender online pode ser a saída para o seu negócio físico decolar, mas para isso é necessário fazer um planejamento detalhado, estudar o mercado que você deseja entrar, bem como o público que você deseja atingir, entender como precificar seu produto ou serviço e também definir as melhores plataformas a serem trabalhadas.

 

Loja física ou loja virtual?

 

Uma dúvida muito comum que surge entre os empreendedores é sobre qual a melhor opção de negócio: loja física ou virtual?

Antes de fazer essa escolha, é importante entender como funciona cada uma delas, de que forma é possível integrar loja física com virtual e também as diferenças existentes entre esses dois modelos de negócio.

Para abertura de uma loja física é preciso encontrar um local disponível para instalação da sua estrutura e que esteja bem localizado, ou seja, apresente uma boa movimentação de pessoas. Essa busca nem sempre é fácil e requer tempo e dinheiro.

Isso porque você terá um gasto mensal com o pagamento do aluguel, contas de água, luz, internet, além da folha de pagamentos dos funcionários que você deseja ter, e do investimento na estrutura física, como instalação de vitrine, prateleiras, entre outros itens.

Em contrapartida, seus clientes poderão ver o seu produto pessoalmente, pegá-lo na mão, experimentar, o que, para alguns consumidores, é muito importante.

Já a loja virtual pode ser aberta sem os custos mencionados acima. Seu investimento será basicamente na criação de um espaço virtual e no marketing digital necessário para divulgação do seu produto ou serviço.

Outro ponto positivo é que sua mercadoria ficará à disposição para venda 24 horas por dia e não apenas no horário comercial, como acontece com a loja física, além da possibilidade de expandir suas opções de produtos sem dificuldade.

Muitos empreendedores têm dificuldade ainda de migrar da loja física para a virtual e se adaptar ao novo mercado, por isso é importante entender como vender online para todo o Brasil e se adequar aos padrões de consumo do público pela internet, conforme veremos mais à frente neste artigo.

 

Mercado de vendas online em ascensão

 

O  e-commerce é tendência há pelo menos uma década e cresce a cada ano, atingindo seu auge na pandemia, quando as pessoas precisam adaptar suas formas de consumo em função das restrições impostas pela quarentena e o fechamento dos comércios.

Dados mais recentes da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estimam que, em 2020, 20,2 milhões de consumidores realizaram uma compra on-line pela primeira vez e 150 mil lojas começaram a vender por meio das plataformas digitais. Foram mais de 301 milhões de negociações feitas pela internet, com um valor médio de R$ 419.

Nem mesmo a segunda onda da Covid, agora em 2021, desacelerou as vendas pela Internet. Uma pesquisa realizada pela Neotrust com os dados de compra no e-commerce durante o primeiro trimestre de 2021 mostra que houve continuidade do crescimento das vendas online no Brasil.

Foram realizadas 78,5 milhões de compras online nos três primeiros meses do ano, um aumento de 57,4% em comparação ao mesmo período de 2020.

Esta quantidade de compras resultou em um faturamento de R$ 35,2 bilhões para o e-commerce entre janeiro e março de 2021, aumento de 72,2% na comparação com 2020.

Outro dado interessante é que o consumidor brasileiro tem gastado mais em suas compras virtuais. No período analisado, o ticket médio gasto foi de R$ 447,90, aumento de 9,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Já o estudo promovido pela Ebit/Nielsen em parceria com a Elo, ressalta que cerca de 7,3 milhões de brasileiros fizeram sua primeira compra online durante o primeiro semestre de 2020, um crescimento de 40%. 

Com isso, o Brasil chega à marca de 41 milhões de usuários ativos no e-commerce. Desse total, 58% compraram pelo menos quatro vezes ao longo do semestre e 20% realizaram mais de dez pedidos no período.

A partir de todos os dados apresentados aqui, você pode concluir que ingressar nas  plataformas para vender online é uma boa oportunidade de negócio e que o hábito de comprar pela Internet já faz parte do consumidor brasileiros. A expectativa é que essa prática cresça ainda mais.

 

Onde vender?

Onde vender

Se você já está decidido a vender online, é preciso fazer isso com segurança e garantir a lucratividade da loja virtual.

É possível comercializar seus produtos por meio das redes sociais. O Facebook e Instagram, por exemplo, são excelentes canais para alcançar o público que você deseja conquistar. 

Por meio de conteúdos que devem ser criados especialmente para esses espaços e com uma linguagem específica, é possível captar possíveis compradores que, interessados no seu produto, acabarão acessando também o seu site, por exemplo, para efetuar a compra.

Os espaços de marketplace também são opções bastante interessantes. Tratam-se de plataformas que unem diferentes lojas que podem anunciar seus produtos, dando ao cliente um leque maior de opções.

Vale lembrar que o marketplace é diferente do e-commerce, outra ferramenta que pode ser utilizada para venda pela internet.

Enquanto no e-commerce o produto é vendido e enviado pela mesma loja, o marketplace, como o nome já sugere, é um shopping virtual onde diversas lojas divulgam seus produtos ao mesmo tempo, separados por categorias, opções de frete, avaliação do vendedor, entre outros filtros deixando a cargo do consumidor selecionar o produto que melhor atende às suas necessidades. 

 

Veja algumas plataformas de vendas online mais utilizadas no Brasil.

 

Mercado livre

mercado livre

É a empresa de tecnologia argentina líder em comércio eletrônico e soluções fintech na América Latina. A plataforma, que foi criada com o objetivo de democratizar o comércio e os serviços financeiros, apresenta mais de 60 milhões de ofertas em tempo real, incluindo mercadorias, imóveis, carros e serviços.

Para vender por meio do Mercado Livre não é preciso ter CNPJ, basta se cadastrar como pessoa física. O cadastro é gratuito, mas a plataforma cobra uma porcentagem pela venda.

 

Magazine Luiza

magalu

É uma plataforma digital de varejo brasileira multicanal. É possível vender produtos por meio do marketplace do Magalu com a proposta de você, empreendedor ou lojista de qualquer porte, ter uma loja virtual.

Ao se cadastrar, você se torna parceiro do Magalu e tem seu produto sendo vendido na loja, no site, no televendas e no aplicativo.

Em uma plataforma bem estruturada, o vendedor aumenta o alcance dos seus produtos, já que o Marketplace recebe mais de 35 milhões de visitantes por mês.

Para fazer uma parceria com o Magalu Marketplace é preciso acessar o site e dar início ao cadastro. O primeiro passo é decidir se você quer contar com a ajuda de uma empresa de integração (hub de integração) ou prefere fazer tudo do seu jeito.

Logo em seguida, é necessário informar alguns dados básicos sobre a sua loja. Depois, é preciso registrar os contatos dos responsáveis pelo negócio, assim como algumas informações financeiras que serão solicitadas.

Feito isso, basta enviar os documentos para comprovar as informações cadastradas e, quando tudo for aprovado, começar a colocar os seus produtos para a venda. 

 

B2W 

b2w marketplace

B2W Digital é uma empresa de comércio eletrônico criada no final de 2006 pela fusão entre Submarino, Shoptime, Americanas.com, e que tem mais de 17 milhões de clientes ativos e mais de 2 bilhões de visitas todos os anos.

Para vender seus produtos por lá, é preciso preencher um breve cadastro, informando seus dados e os da sua loja. Depois, insira os produtos disponíveis no seu estoque para anunciar nos sites do marketplace. 

As exigências para participar são: ter um CNPJ ativo e sem restrições, possuir CNAE no setor Comércio Varejista, emitir nota fiscal (NF), capital social superior à R$1 mil, conta corrente vinculada ao CNPJ cadastrado.

 

Instagram, Facebook e Pinterest

instagram              facebook    pinterest

A febre das redes sociais não parou apenas nos usuários compartilhando fotos, experiências, conteúdos e aumentando sua rede de amigos. As empresas também entenderam que elas também são ponto chave para se aproximarem do seu público. De acordo com estudo feito pela Social Media Trend, 96,2% dos brasileiros que utilizam internet possuem um perfil em alguma rede social.

Vamos começar pelo mais antigo, mas não menos importante, Facebook, criado em 2006. Sua plataforma, Facebook Marketplace ou F-commerce, permite que o vendedor tenha sua própria loja virtual dentro da rede social.

E é fácil e prático começar a vender pelo Facebook, basta ir nas configurações da sua conta empresarial já criada, e liberar a opção de Loja, cadastrar seus produtos, definir alguns parâmetros da loja como design, fotos, etc, e começar a vender. 

Mas o Facebook não parou por aí. Em 2012 ele aumentou seu potencial de vendas ao adquirir o Instagram que já ultrapassou a margem de 1 bilhão de contas sendo ativas todos os meses.

Por isso, vamos falar agora do Instagram Shopping. Lançado no Brasil em 2018, ele permite que as marcas vendam seus produtos nas suas próprias publicações de feed. E assim como no Facebook, para tornar tua conta empresarial, comercial basta alterar suas configurações de conta.

Assim como Instagram, o Pinterest é uma rede social de compartilhamento de fotos que se assemelha a um quadro de inspirações, onde os usuários podem compartilhar e gerenciar imagens.

Para usar o Pinterest como plataforma de venda é preciso criar uma conta gratuita, selecionar os principais tópicos que têm mais afinidade com seu negócio online, transformar sua conta em uma conta comercial e vincular sua loja ao perfil. Hoje, a plataforma já supera os 400 milhões de usuários ativos mensais.

Não podemos negar que as redes sociais possuem presença massiva no dia a dia das pessoas, mas não basta apenas criar uma conta comercial, é preciso gerar um bom engajamento e compartilhar conteúdos que fazem diferença para o seu público.

 

Como escolher a melhor plataforma para vender online

 

Antes de escolher em qual plataforma sua empresa irá vender online é importante levar em conta alguns aspectos. Saiba quais são eles:

  • Integrações: Avalie as integrações disponíveis com outros sistemas e outras plataformas, como as de comunicação e de pagamento.
  • Usabilidade: A plataforma precisa rodar sem dificuldade tanto em computadores quanto smartphones. É imprescindível que o cliente tenha acesso facilitado.
  • Métricas e relatórios: Ter acesso a indicadores para e-commerce e relatórios em tempo real é fundamental para a saúde financeira do seu negócio. Fique atento às plataformas que oferecem esses dados que precisam ser avaliados periodicamente.

 

Como gerenciar suas vendas online

como gerenciar suas vendas online

Existem diversas opções de sistema para gerenciar seu empreendimento virtual de modo que ele cresça de maneira organizada e tenha lucro, entre eles CRM, ERP, PDV ou POS, RMS ou sistema de gestão empresarial de varejo.

Veja algumas ferramentas existentes que vão te ajudar nesse processo:

 

CRM 

 

O Software Customer Relationship Management (CRM) organiza e registra todas as ações de vendas de uma empresa. Ele é importante para aprimorar abordagem e o contatos com clientes, tornando a comunicação mais assertiva.

O sistema é um facilitador para as equipes de vendas de pequenas, médias e grandes empresas, uma vez que consegue analisar dados do cliente, antecipar seus desejos e otimizar o processo de vendas, além de aumentar a produtividade.

 

Hub de integração

 

Se você pretende atuar em uma ou mais plataformas de marketplace é fundamental contar com um hub de integração. Trata-se de um meio de gerenciar pedidos e outras operações para quem atua em marketplace

Ele permite anunciar produtos em plataformas de terceiros, em troca de uma comissão por cada venda realizada. Esse formato é indicado e vantajoso para lojistas que ainda não podem investir em uma infraestrutura de TI mais elaborada.

 

Sistema de gestão 

 

Os sistemas de gestão empresarial de varejo, entre eles o Ponto de Venda (PDV), Enterprise Resource Planning (ERP), atuam como centralizadores de informações, reunindo  todos os dados referentes aos processos operacionais, administrativos e gerenciais da empresa de modo que passem a integrar uma mesma plataforma

Entre as possibilidades desse sistema está o controle de estoque, mensurar as vendas e reestruturar a formação de preços.

 

Principais vantagens da venda online

 

Acompanhe as principais vantagens de vender online para assim alavancar o seu negócio em pouco tempo:  

  • Investimento inicial mais baixo: diferente de uma loja física, basta comprar um domínio, escolher uma boa plataforma de e-commerce, criar um layout e investir em marketing digital;
  • Funcionamento 24 horas: as vendas podem acontecer a qualquer hora e de qualquer lugar
  • Menor custo para manutenção;
  • Alcance mais amplo de consumidores;
  • Comodidade para você e para o cliente;
  • Acompanhamento e análise de resultados em tempo real;
  • Personalização da experiência do consumidor;
  • Busca rápida e eficiente.

 

Como fazer um planejamento de vendas online

 

Para ter sucesso na internet é imprescindível ter um plano para vender online, ou seja, um planejamento de ações de onde você está para onde você deseja chegar.

Ele plano norteará o trabalho da equipe de vendas e precisa seguir etapas importantes como você vai ver a seguir: 

Pesquise o seu público: É importante conhecer as pessoas que você deseja atingir, saber suas preferências, sua idade, sua classe social, entre outras informações relevantes que farão a diferença na hora de estabelecer uma comunicação eficiente.

Escolha o seu nicho: Moda, vestuário, calçados, acessórios, produtos de beleza e mercadoria para pet são alguns dos mais procurados. Entre os produtos mais vendidos na Internet podemos destacar: roupas, sapatos, smartphones, notebooks, brinquedos, produtos para o cabelo, perfumes, artigos de armarinhos e games.

Escolha seus fornecedores: Trabalhe com empresas que você confie e que cumpra os prazos estabelecidos.

Configure sua loja: Define nome, logotipo, site, registro de domínio, hospedagem confiável e formas de pagamento e entrega.  

Defina suas formas de frete e envio de mercadorias: Verifique se os seus produtos serão comercializados em todo o Brasil ou se será necessário realizar frete internacional. Um dos principais filtros utilizados nas pesquisas de produtos, é o frete grátis. Será que vale a pena oferecer?

Saiba como precificar seus produtos/serviços: O preço de um produto não pode ser alto ao ponto de desestimular a compra, mas não pode ser baixo de modo que não gere lucro, por isso é importante saber precificar sua mercadoria. 

Para isso leve em conta o custo por unidade, contabilize as despesas, respeite a margem de lucro (que é a porcentagem que volta para o caixa quando todos os custos são pagos) e estude o mercado que você está ingressando. 

Com as vendas realizadas em marketplaces e outras plataformas, é importante levar em consideração também possíveis comissões sobre as vendas que normalmente são cobradas.

Elabore uma estratégia de marketing: invista em marketing digital para se comunicar de forma adequada com os consumidores e adote o SEO, que é uma estratégia de otimização de sites, blogs e páginas da web que visa melhorar o seu posicionamento nos resultados orgânicos dos buscadores.

Foque no pós-venda: o pós-venda das vendas online precisa de uma atenção especial, principalmente porque é a partir da avaliação do vendedor, do produto, do atendimento que seus produtos ganharão mais credibilidade e terão um ranqueamento melhor se comparado ao da concorrência. Não esqueça, a venda não termina quando o produto chega ao seu destino. O relacionamento com o consumidor deve ser impecável antes, durante e depois do processo de compra.

O conteúdo desse artigo foi útil para você? Pensa em abrir uma loja virtual para o seu negócio?

Deixe seu comentário e nos conte quais planos você tem para a sua empresa. Nós vamos te ajudar a executá-los!

 

Posts Recomendados

No comment yet, add your voice below!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *