Indicadores do Varejo: Saiba os 12 que você deve acompanhar

Os indicadores do varejo são informações preciosas para qualquer varejista.

Isso porque uma gestão é feita à base de dados, métricas e números que ajudam a entender a atual situação do negócio.

Dentro desse contexto, há uma série de indicadores de varejo que você deve acompanhar.

Independente do porte da sua empresa, essas informações ajudam a identificar falhas, promover as melhores estratégias, traçar metas, fechar a torneira de gastos e investir no que é proeminente dentro do seu negócio.

Tudo isso pode ser feito através de um conceito consolidado no mercado e na gestão empresarial, principalmente varejista: o Key Performance Indicator ( KPI), ou Indicadores-Chave de Performance em português.

Dito isso, trazemos este artigo completo com os 12 indicadores de varejo que você deve acompanhar, ampliando sua visão global do negócio que está gerindo. Vamos lá?

1. Faturamento total

O ponto de partida e o primeiro KPI que você deve analisar é o faturamento total.

Isso porque é através dele que você conseguirá enxergar quanto dinheiro há disponível.

Vale destacar que esse indicador leva apenas em conta as receitas brutas, ou seja, sem o que é gasto.

Esse tipo de métrica deve ser analisada periodicamente como, por exemplo, de forma mensal.

Contudo, varejistas podem ter resultados sazonais e, em alguns casos, a análise quinzenal é mais indicada para entender o comportamento do faturamento interno.

Tudo atrelado ao quanto conseguiu vender.

2. Margem de contribuição

Sabendo do faturamento, seu varejo precisa entender qual é a margem de contribuição.

Basicamente, trata-se de diminuir o seu lucro (já descontado as despesas variáveis, como matéria-prima) pelo o que gastos nas despesas fixas, como aluguel, por exemplo.

Isso permite entender quais são os produtos com melhor retorno quanto ao seu preço, apresentando maiores ou menores margens; também, é possível ver como está determinada ação ou estratégia; e, ainda, ajuda a mensurar quais vendedores ou canais de vendas se mostram mais efetivos.

Pensando em entender melhor sobre sua margem de contribuição e finanças em geral, você pode analisar as soluções sistema de gestão financeira que se encontram no mercado.

3. Controle de estoque

O varejo, como bem sabemos, a gestão do estoque é um dos seus maiores desafios.

Um KPI que é fundamental na sobrevivência de uma empresa do gênero é a gestão e controle dos insumos estocados, como o que já são feitos através de ERPs segmentados.

Ao analisar o giro do estoque, entende-se a necessidade de antecipar compras ou até oferecer promoções para que os produtos não sejam perdidos.

Ao ter controle sobre esses indicadores, leva-se em conta o tempo de venda média e a necessidade de diminuir itens que expiram a validade ou são avariados.

Outro indicador base para a melhor gestão e planejamento do seu inventário é a acuracidade do estoque, representando a confiabilidade das informações de estoque em seu sistema de gestão.

4. Ticket médio

Entrando nos indicadores referentes aos clientes, o primeiro é entender o KPI que fala sobre ticket médio.

Aqui é o valor médio que cada consumidor vai gastar com seu varejo, trazendo dados como os produtos que mais saem no seu negócio.

Esse indicador também ajuda a incorporar promoções para alavancar o ticket médio, ajuda a mensurar quanto cada vendedor está proporcionando à empresa, entre outros.

A conta é simples: o faturamento bruto durante um mês é dividido pelo número total de clientes.

5. Custo de Aquisição de Clientes

O Custo de Aquisição de Clientes (CAC), é outro indicador de extrema importância para o varejo.

Sem segredos, é o valor necessário para trazer um cliente ao seu negócio.

O número fica ainda mais preciso quando é possível mensurar consumidores de longa data.

Para isso, divide-se o total investido em ações para atrair clientes (promoções, propagandas, marketing, e qualquer outro método de atração), pelo número global de pessoas que consumiram na sua empresa.

Defina metas para aumentar o seu CAC através deste artigo que preparamos para você.

6. Nível de satisfação dos clientes

Segundo o consultor de marketing Philip Kotler, manter um cliente pode ser até sete vezes menos custoso que trazer novos para seu negócio.

No varejo, analisar o KPI ‘nível de satisfação do cliente’ é primordial nesse sentido.

Além de manter a base de consumidores fiéis, que irão gastar periodicamente, também é possível ver quais ações seu negócio está acertando - e onde está errando.

Pesquisas e formulários, além de feedbacks no dia a dia, ajudam você a mensurar esse indicador e aplicar melhores estratégias.

7. Indicadores de recompra

Em sintonia com os KPIs acima listados, os indicadores de recompra fecham as informações sobre clientes necessários dentro de um negócio.

Aqui é preciso ver, através dos dados cadastrais, quanto as pessoas gastam e o tempo que demoram para voltar ao seu varejo.

Sem ele, torna-se difícil mensurar o seu público-alvo, importantíssimo para suas campanhas de marketing, por exemplo.

Em complemento, é um indicador que permite que você tenha mais confiabilidade nos números dos outros KPIs relacionados aos clientes.

8. Retorno sobre investimentos (ROI)

O retorno sobre investimentos tornou-se prioridade para gestores, sendo um dos principais indicadores de sucesso do varejo.

Afinal de contas, eles precisam confirmar efetivamente, qual é o retorno financeiro originado para o negócio a partir daquele investimento, podendo ser calculado para todas as ações e campanhas realizadas por sua empresa.

O importante é saber que se deve manter o foco nos resultados que foram gerados para o negócio, e não trabalhar com assuntos abstratos.

Para calcular, é simples: se forem investidos R$ 1.000 e ao final do período, as vendas chegam a R$ 2.000, o retorno sobre investimentos é de 50%.

9. Vendas por vendedor

As vendas por funcionário são uma medida útil quando você está planejando as programações e iniciativas de sua equipe.

Você pode medi-lo facilmente usando esta equação: vendas líquidas / número de funcionários.

Essa métrica pode ajudá-lo a tomar decisões mais inteligentes, especialmente no que diz respeito à contratação, escala de serviço e remuneração.

Se você deseja obter insights mais profundos sobre sua receita e equipe, vá além da fórmula acima e meça a receita gerada por funcionários individualmente.

A maneira mais fácil de fazer isso é por meio do sistema de ponto de venda.

Encontre uma solução de PDV que monitore as vendas por funcionárioe use esses dados para chegar a metas de vendas e determinar quem são os melhores associados.

A melhor maneira de melhorar essa métrica é fazer com que seus associados gerem mais vendas.

Dependendo da sua loja, isso pode incluir ações como definir metas de vendas inteligentes por funcionário, investir em treinamento de vendas e motivar sua equipe para um melhor desempenho,

10. Retenção de clientes

Você trabalhou duro para conseguir novos clientes, então é certo que você descubra se ou não, você os está mantendo.

Uma fórmula simples para você descobrir os índices de retenção dos seus clientes é: ((CE-CN) / CS)) x 100, sendo CE = número de clientes no final do período, CN = número de novos clientes adquiridos durante o período e CS = número de clientes no início do período.

Sua taxa de retenção de clientes informa a quantidade de clientes que retornam à sua loja.

Essa métrica é um indicador excelente para atendimento ao cliente, desempenho do produto e lealdade.

Fazer com que as pessoas voltem se resume em quão bem você administra seu relacionamento com os clientes, além de aumentar suas vendas.

Algumas ações que você pode implementar para reter seus clientes são rastrear compras de clientes e oferecer recomendações personalizadas, desenvolver relacionamentos significativos por meio de um atendimento ao cliente incrível, bem como esforços de construção de comunidade, como aulas, eventos ou grupos online.

Outra ideia é a implementação de um programa de fidelidade matador para incentivar os compradores a continuar voltando.

11. Ponto de Equilíbrio

O ponto de equilíbrio - também conhecido como break-even point - é o KPI que ditará em que momento a empresa atingiu o mesmo valor de custos e receitas.

Ou seja, é o período exato onde não há nem prejuízo, nem lucro.

Esse indicador é indispensável para traçar estratégias para criar (ou aumentar) a lucratividade em determinado recorte de tempo, projetando o necessário para não ficar no vermelho.

Um exemplo aplicado ao varejo é perceber quando o giro de estoque pode ser interrompido para atingir o ponto de equilíbrio.

12. Rentabilidade e lucratividade

Chegamos aos indicadores que são ‘dois em um’.

A rentabilidade trata de saber de todos os índices que foram aplicados em períodos superiores aos mensais, como os investimentos feitos, além das vendas e o que foi lucro.

Tudo isso passa por um controle financeiro efetivo - e é disto que tratamos neste artigo.

Dessa forma, dos indicadores de varejo que você deve acompanhar, o lucro será sempre o resultado final de qualquer KPI.

Caso ele apresente oscilações, ou você tenha resultados pouco expressivos, a atenção aos outros tópicos que trouxemos acima deve ser redobrada.

Afinal, todo esse processo é para que uma empresa seja lucrativa, não é mesmo?

Conclusão

Estes indicadores para o varejo são indispensáveis e, para melhorar sua performance, é preciso utilizar o que há de mais moderno, como sistemas de gestão voltados para este setor.

Adotar um sistema de gestão que automatize a gestão da sua empresa, desde estoque até fluxo de caixa, facilita a vida da sua equipe, e, principalmente, a sua.

Para isso, um sistema de gestão é indispensável, ainda mais se ele foi pensado especificamente para atender as necessidades do varejo.

A Tedsys oferece soluções completas para a gestão da sua empresa e caso você queira saber mais, é só clicar aqui. para entrar em contato conosco e saber como podemos te ajudar.

Posts Recomendados

No comment yet, add your voice below!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *